Blog do TaQ

Usando o Pathogen para gerenciar seus plugins do Vim

Publicado em Developer

Dei uma geral aqui nos meus plugins do Vim e aproveitei para instalar o plugin Pathogen do Tim Pope para fazer o gerenciamento deles.

O Pathogen assume que o plugin esteja em algum repositório Git, e para minha sorte a maioria dos plugins que utilizo estão com seus repositórios no Github, e os que ainda não estão tem uma santa alma que criou um repósitorio lá para sincronizar com os códigos-fonte/outros repositórios no repositório vim-scripts, então dá para usar praticamente só o Github para fazer o gerenciamento dos plugins!

Para instalar o Pathogen, é só ir para o repositório dele e salvar o arquivo pathogen.vim (que está dentro do diretório autoload) dentro do seu diretório ~/.vim/autoload, e inserir a seguinte linha no final do seu arquivo ~/.vimrc:

call pathogen#runtime_append_all_bundles()

Pronto, agora o plugin está pronto para gerenciar os plugins que você vai clonar com o Git no seu diretório ~/.vim/bundle. Por exemplo, se você quiser instalar o plugin vim-rails, é só fazer o seguinte:

cd ~/.vim
mkdir bundle
cd bundle
git clone https://github.com/tpope/vim-rails.git

Pronto, o plugin já está pronto para o uso. Um ponto muito importante é que você tem que remover a versão "convencional" do plugin antes ou depois de remover a versão controlada pelo Pathogen.

Como eu sempre gosto de atualizar e ver o que mudaram nos plugins, ao invés de ir de diretório em diretório dentro de ~/.vim/bundle, eu fiz um script chamado vim-bundles-updater que faz isso, verificando quais foram as alterações e mostrando no terminal (usando -c) ou no próprio editor (usando -v). É só instalar o arquivo update_vim_bundles com permissão de executável em algum lugar do seu path e rodar o comando.

A lista de plugins que estou atualmente usando é:

Vou tentar fazer alguns posts nas próximas semanas sobre cada um desses plugins, e melhorar o visual disso aqui, que continua mais feio que brigar com a mão por causa da mistura do almoço.


Tags:


Comentários

comments powered by Disqus

Twitter