Blog do TaQ

Minhas semanas com o Kindle PaperWhite

Publicado em Geek

Algumas semanas atrás fiz um upgrade no melhor gadget que já comprei: um leitor eletrônico de livros, no caso, o Kindle, da Amazon. O meu modelo anterior era o Kindle Keyboard, que me serviu muito bem por anos e anos, e ainda continua funcionando muito bem, por sinal. Mas com a distribuição aqui no Brasil sendo feita pelo Ponto Frio (que me entregou o aparelho em menos de 2 dias, uau!), permitindo, se não reduzir tanto o ágio dos impostos Brasileiros, mas já pagar mais barato e parcelado pelo aparelho, eu fiquei tentado a fazer upgrade para o Kindle Paperwhite, sendo muitas as vantagens (e, porque não, algumas desvantagens também).

O aparelho chegou em uma caixinha caprichada da Amazon, para não perder o costume:

Dentro da caixa, vem o bicho embalado:

Dentro vem o manual e o cabo, que é a primeira desvantagem desse modelo: diferente do modelo anterior, que tinha as opções de carregar na porta USB e na tomada, esse só permite o carregamento pela porta USB.

As vantagens começam assim que o PaperWhite é ligado. Olhem só a comparação dos dois modelos:

Como eu já estou usando uns óculos mais, digamos, "reforçados", devido à passagem do tempo ter castigado um pouco os meus globos oculares (véio!), a tela iluminada é de uma ajuda tremenda. Além de deixar a leitura mais legível, ela exige meno esforço para a leitura em ambientes com pouca iluminação, que era uma das "fraquezas" do modelo anterior, mas nada que não fosse contornável geralmente com o simples apertar de um interruptor de luz próximo.

Algumas das desvantagens com o modelo anterior que eu percebi:

  1. A já mencionada acima, de ter o cabo com carregamento somente pela USB
  2. Não ter saída de som. Tá certo que temos celulares lotados de músicas e podemos utilizar 3G ou redes sem fio para escutarmos nossas músicas preferidas (eu estou esperando chegar o serviço da Amazon aqui, mas enquanto isso escuto rádios online com o Tunein), mas em uma emergência, era uma beleza poder ligar o fone no aparelho e ficar escutando um sonzinho enquanto lia.
  3. Como não tem som, não tem mais a leitura do texto, algo que eu utilizava às vezes
  4. A bateria dura bem menos, por causa da tela, que eu deixei no nível de brilho 20 durante todo esse tempo, com a rede sem fio ligada direto. Segundo a página do produto, a bateria dura até 8 semanas com a tela no nível de brilho 10 e com a rede sem fio desligada, lendo meia hora por dia. Usei bem mais, e não é nada que incomode, carregar o aparelho a cada 3 semanas, tá tudo certo.
  5. Espaço interno, esse tem 2Gb contra 4Gb do modelo anterior. Mas nem cheguei perto de encher isso, pois eu não gosto de ficar com trocentos livros, mesmo que organizados em categoria, no aparelho.

Agora as vantagens:

  1. A tela. É ótima (1024x768 212PPI contra 600x600 167PPI do anterior), e a iluminação quebra um galhão. Foi a principal razão de ter feito o upgrade.
  2. O touch. Gostei dele, e economiza bem retirando o teclado do aparelho. Tem uma resposta rápida (ei, isso não é um tablet, mais sobre isso daqui a pouco) e é bem confortável de usar, mesmo no teclado. Inclusive, preferi ele para os highlights do que o teclado.
  3. Sendo menor, é mais leve! Dá para segurar em uma mão sem cansar.
  4. As fontes, devido à maior resolução da tela, são diversificadas, e eu já escolhi uma diferente.

No final das contas, achei uma boa upgrade, e mais uma ótima aquisição. Algumas pessoas tem me perguntado, se eu, por ser um entusiasta do Software Livre, não fico incomodado em comprar livros com DRM da Amazon. Bom, a resposta é que poucos são os livros que eu compro na Amazon, e mesmo esses, daria para retirar o DRM de boa (não vou ensinar porque é contra a lei e sou pai de família ;-) e a maior parte dos livros que eu compro são da Pragmatic Programmers, O'Reilly e da Leanpub, que são distribuídos no formato do Kindle (que por sinal, não lê o epub) sem DRM, ou seja, até agora não vi problema para o meu uso do aparelho.

Essa questão da DRM foi abordada por um jornalista ontem, quando ele aponta que no caso de se trocar de leitor digital, a pessoa pode optar pelos leitores que utilizam o epub, e nesse caso, não teria problema algum para gravar em outro aparelho. Mas permitam-me discordar de alguns pontos do artigo.

O autor menciona que:

O dono de um Kindle, porém, vira praticamente um refém da Amazon, pois ela concentra a grande maioria dos livros vendidos para o e-reader.

Para o público em geral, pode até ser verdade, mas como mencionei acima, para quem tem alguma coisa mais específica nos livros que deseja, como nós programadores, não é verdade. Várias publicações são compradas em packs que contém os mais diversos formatos, até PDF. Algumas outras desvantagens do Kindle mencionadas no artigo e em um outro publicado no mesmo dia pelo mesmo autor são:

  1. "Ausência de botão para trocar páginas, ajustar o brilho e voltar à tela inicial": eu preferi o touch. Economiza espaço na tela e troquei bem menos acidentalmente de página com ele do que com os botões. Acredito que a tendência de usabilidade em gadgets, com as telas touch, seja de menos botões mesmo.
  2. "Iluminação desuniforme da tela": o que o sujeito recebeu devia estar quebrado. O meu tem uma iluminação boa, não perfeita em termos de pixels, mas gostei muito.
  3. "Nível de contraste deixa a desejar": pelamor, para eu que tenho uns óculos "vitaminados" o contraste está ótimo!
  4. "Caracteres poderiam ser exibidos com mais nitidez": novamente, eu acho que estão perfeitos, a maior resolução da tela fez com que a leitura ficasse mais definida e prazeirosa do que nunca.
  5. "Toques rápidos não são registrados com precisão": ei, isso é e-paper, não é tablet, puxa vida. O autor tem que ter um discernimento maior em relação à isso. Acredito eu que ainda não dá para ter um e-paper de qualidade com a performance esperada ali.
  6. "Textura emborrachada que suja com facilidade": um paninho e uma capinha vão bem às vezes ...
  7. "Legibilidade inferior à do Kindle básico, com letras com bordas mais escuras e abruptas, bem definidas": inferior? Tá doido?
  8. "Qualidade de imagem um pouco decepcionante, baixo contraste, falta de nitidez, caracteres com tonalidade muito clara e bordas suaves demais": realmente o aparelho que o sujeito recebeu estava com problemas. Só pode, para escrever isso!

Deixando claro que eu não estou ganhando nada da Amazon (ei, me mandem uma daquelas capinhas bacanudas - e caras - do Kindle, vai! :-) para escrever esse review ou fazer a análise dos artigos acima, porém achei os dois muito estranhos a não ser que o aparelho recebido pelo autor estivesse com algum problema. Estou extremamente satisfeito e devorando cada vez mais livros com esse pequeno ajudante de leitura.


Tags:


Comentários

comments powered by Disqus

Twitter

Recomendados!