Blog do TaQ

Lançamento do Firefox 1.0

Publicado em Web

No último dia 09, foi o lançamento do Firefox 1.0, e a turminha do GNURP aproveitou para se reunir, festejar e se conhecer também. :-)

Gostaria de fazer um breve relato do por que, em minha opinião, estarmos comemorando. Como disse lá para o pessoal, são motivos técnicos e políticos.

Técnicos, por que finalmente temos um concorrente de peso para "aquele outro" navegador, e podemos tentar fazer funcionar a idéia de podermos fazer mais código que presta para a internet. Só para citar um exemplo, fica o caso dos seletores CSS. Se funcionassem "naquele outro" navegador, com certeza economizariamos muito código e o faríamos bem mais eficiente.

Com o advento do Firefox 1.0 podemos esperar daqui algum tempo ou podermos tranquilamente nos espelharmos nos padrões do W3C e construirmos esse nível de código ou darmos uma grande "banana" para navegadores que funcionam do jeito que bem querem e escrevermos nossos sites assim mesmo. :-)

Aí entram duas coisas interessantes:

1 - Os produtores de sites, os que dependem ainda do dinheiro que vem disso, podem ter que fazer ainda em seus sites os "hacks" para que o "outro navegador" tenha condições de mostrar o layout corretamente. Isso é perfeitamente normal nessa situação, afinal, os clientes do cliente talvez não estejam interessado na nossa política (em primeira mão, lógico que com o passar do tempo fatalmente as pessoas vão ir notando, do jeito que estão, que o "outro browser" não tem atualização, tem muitas falhas de segurança etc etc e vão acabar ficando de saco cheio dele) e convenhamos, a galera tem que ganhar o seu dinheirinho para o leitinho das crianças. Sem fanatismos nesse ponto.

2 - Diferentemente desse primeiro caso, que a pessoa se preocupa com o lado técnico e eficiente do seu trabalho, existem os "webdesigners" e "webmasters" que não estão nem aí. Para eles, "funcionou no IE tá certo", relegando qualquer reflexão sobre o que estão fazendo. E ainda ficam bravos e caçoam se alguém fala de algum outro navegador para eles se não for o IE!

Esses tipos parecem aquelas mulas que puxam carroça, que tem aquela viseira que evita elas olharem de lado, e realmente, não podem ser chamados de "web(designers|masters)" (vejam que não estou falando puramente de designers, mas sim com o web no meio), por que não estão nem aí com o que produzem, e a sua tamanha falta de interesse nos leva a crer que são preguiçosos, por que nem tentam ver por que a gente argumenta que o Firefox (ou qualquer outro browser que tenha interpretação decente de conteúdo web decente) é bom.

"Padrões? Para que?","Padrões estão aí para serem quebrados","Eu nem vejo o código que faço, uso o Dreamweaver (ou na pior das hipóteses, o Frontpage!!!)" são os tipos de comentários que se ouvem dos tipos citados. Essa falta de preocupação com padrões e qualidade de código chega a ser até uma falta de respeito cívico.

Os sites não podem ser feitos de maneira mais eficiente, o que acaba fazendo o tráfego de bytes aumentar consideravelmente para você na sua casa e para o webserver do seu cliente. Fora que pessoas assim também tem o "reflexo" de se espelhar em alguns webservers por aí que nada mais fazem do que ser contaminados e ficarem entupindo a internet com porcaria (mais sobre isso você pode encontrar aqui).

Não estou dizendo que você tem que seguir qualquer padrão que aparecer por aí cegamente! Mas ficou provado se você desenvolve código compatível com alguns padrões bem-definidos todo mundo tem a ganhar, e se evita tags malucas proprietárias (que podem até vir a ser parte dos padrões com a sua evolução, afinal, não estão gravados em pedra! isso em relação à navegadores que tem atualizações frequentes, o que não é verdade se pensarmos "no outro") e podemos fazer nosso serviço mais tranquilamente.

Isso nos leva aos motivos políticos: os "usuários normais" começam a ficar de saco cheio de tantos problemas acontecendo por causa dos webservers, navedores e programas de email capengas, mas padrões, que tem por aí, e começam a procurar alternativas (menos as "mulas de carroça" que mencionei acima).

Aí que podem se deparar com o Firefox, e ver que software livre realmente presta e funciona muito bem, ao contrário de todo o terror sobre isso que a "empresa do outro navegador" tenta espalhar por aí. Mesmo que a pessoa não troque o seu sistema operacional, ela pode experimentar uma aplicação de software livre no seu sistema corrente e ver que ela realmente tem muitos pontos positivos. Talvez a pessoa após isso troque também seu cliente de email, seu programa de mensagens instantâneas, seu sistema operacional, e por aí vai.

Todo mundo só tem a ganhar com isso, e o engraçado que diferente do que pregam as "mulas de carroça" que defendem seus interesses apenas por preguiça e comodidade, nossa intenção em apresentar esses softwares não é uma questão de ego ou interesses toscos, mas sim a preocupação de mostrar softwares decentes, que funcionam bem e não acabam com os usuários e a internet, afinal, somos todos usuários e compartilhamos a mesma rede, e atitudes que visam melhorar nossa qualidade de vida em relação à tudo isso.

Então, que venha isso! Vamos fazer diferença, quebrar os "monópolios-vocês-vão-ter-que-me-engolir", alavancar uma atitude mais positiva como profissionais e pessoas, e continuar a evolução dos códigos que vão nos permitir ter alguma coisa mais decente no futuro.

Bem-vindas, alternativas para os usuários.
Bem-vindo, Firefox 1.0.
Bem-vindo, pessoal da GNURP. :-)
Tags:


Comentários

Sem nenhum comentário.

comments powered by Disqus

Twitter