Blog do TaQ

Paranóia, obssessão ou verborragia?

Publicado em GNU/Linux

Antes de começar a escrever, deixa esclarecer uma coisa: este post está sendo escrito durante o dia de hoje, em meus momentos de "respiro", entre uma tarefa e outra. Isso para não falarem que eu perco muito tempo escrevendo essas coisas, tempo que nem tenho direito. Entendidos? Ok.

O propósito desse post é comentar um pouco o que o Carlos Villela comentou aqui sobre a minha mania idiota (obrigado pela parte idiota que me toca, sarcasticamente falando) de escrever sobre a Micro$oft (sim, com $, que que tem?) ás vezes aqui no blog.

Eu já respondi uma boa parte nos comentários lá, mas deixa eu ser mais "verboso" aqui.
Longe de ser uma pegação no pé do jeito que o cv pensa que é, eu coloco a coisa de um jeito menos pretensioso que uma suposta Inquisição doentia com o povo lá de Redmond: é um reflexo diário de coisas que acontecem comigo, ou ao redor de mim. Eu uso Linux, tanto no trabalho como em casa, mas seria estupidez dizer que coisas que a m$ faz ou coisas que acontecem em quem usa produtos dela não refletem em mim.

São coisas que não fico procurando, daquele tipo realmente idiota de comunidades do Orkut como a "I Hate Java", onde pessoas realmente sem tempo ficam prestando atenção minuciosamente naquilo que odeiam (por motivos que só eles sabem), até chegar no ponto que quando é lançada uma versão nova do Java o sujeito faz um post dizendo "saiu a versão nova do Java, o que a gente odeia nessa agora?" e um bando de desocupados vão lá ficar fuçando no changelog e fuxicando igual aquelas velhinhas que não tem mais o que fazer, falando mal da vida dos outros.

Falando em Java, o cv mesmo está com uma mania de pegar no pé do Java também. Vamos inverter agora a situação, não sou eu mais falando mal da Micro$oft, mas o cv falando mal do Java de vez em sempre ali no blog dele. :-) Acredito que ele fale mal justamente pelo que falei acima, é um fato recorrente e diário na vida dele, pois ele está estudando outras linguagens e vê que aquilo que ele trabalha(va) é uma coisa que incomoda no dia-a-dia dele, pois se mostra desgastado e ele vê muitas possibilidades em outras paradas do que no Java. Longe de ser a atitude de um bando de loco tipo a comunidade citada acima, de paranóia, de obssessão, é uma forma de externar coisas que estão acontecendo com ele diariamente e que são possíveis e fáceis de contar aos outros aqui na web. Voltando a batata quente para mim de novo, é o meu tipo de atitude em relação à Micro$oft também.

Duvidam? Vamos dar uma analisada nos últimos posts ...

No "Olha a lotação, vamos dar um passinho no corredor ...", escrevi sobre a porcentagem de vírus, oriundos de sistemas windows, que chegam no meu email todo dia. Foi um dia antes que eu resolvi fazer essa estatística, baseado nas toneladas de emails na minha pastinha de "bulk mail" do Yahoo!. Foram exatamente aqueles 47% de bytes alocados para vírus. Sistemas windows são uma fonte ótima de replicação desses vírus que nos enchem o saco todo dia. Fato.

"Quem tem medo do lobo mau?". Muita gente pensa que não podemos viver sem a m$. Mas isso é possível sim, eu, em meu escopo pessoal aqui, vivo. Linux 100% do tempo, acreditem ou não. E muitas outras pessoas também. Fato.

"Dando murro em ponta de faca". Enviar emails para um spammer pedindo para ele se identificar é confirmar que o seu endereço de email é válido. Fora que enviar um email pedindo confirmação para cada email que você receber iria aumentar bastante e desnecessariamente o tráfegona web. Pensei nisso um dia que a web estava uma carroça aqui ... Fato.

"Segredos da terra do Tio Bill". Quem, entre vocês que já chegaram a programar em C/C++ nos tempos do Win95 até agora, não fica puto lendo uma coisa dessas? Eu li e fiquei. Pensei em quanta dor de cabeça e velocidade não podia ter ganho naqueles tempos. Esconder APIs para tirar proveito do lado comercial da coisa é sujo. Fato.

"Plug and pray". Isso é justamente o que falo. Foi uma coisa que aconteceu comigo e briguei o dia inteiro mas o lazarento do sistema não reconheceu a camêra, mesmo fazendo todos os procedimentos corretamente e depois tentando mudar os drivers e tal. Fiquei puto. Aconteceu. Não funcionou e surtou comigo como surta com muita gente. Fato.

"Seletores de atributos CSS". Estava reescrevendo o site da empresa e dei de cara com esses seletores, que são uma mão-na-roda para eficiência e manutenção do código. Mas o ie não os aceita. IE não obedece os padrões web e vou ter que escrever muito mais código por causa dele. Fato.

Então, longe de ser aqueles locos sem nada o que fazer que parecem que chegam a instalar a última Java VM e criar e rodar extensivos programas só para ter o prazer de meter o pau no Java, comigo é bem diferente. Acontece, e eu falo mesmo. Não é só por que tem gente que pensa que estou pegando no pé da m$ que eu vou parar. Inclusive tem coisas comentando linguagens, pessoas etc também no que eu escrevo.

Agora, parem de me chamar de xiita em relação a m$. Para deixar claro, acho que eles são sacanas, não fazem coisa que preste (isso vai dar discussão...) e a porcentagem que eles enxergam a coisa do lado comercial é muito mais alta que do lado técnico. Mas não vou ficar com uma cruz atrás de todo mundo que usa os produtos deles não. Vou expor meu ponto de vista e pronto, por que acho que podemos ter um futuro melhor sim sem essa prática de "engula tudo que nós fazemos" deles. Mas também não vou ficar quieto quando, quieto aqui no meu canto, me sinto incomodado com a porcariada escorrendo lá do outro lado.
Tags:


Comentários

Sem nenhum comentário.

comments powered by Disqus

Twitter