Blog do TaQ

Biscoito da sorte - Parte 2

Publicado em General

O outro biscoitinho da sorte que recebi (leia o post anterior para saber a história) dizia "Não estique uma planta nova para que cresça mais rápido". Parece que vieram os dois biscoitinhos justamente com as coisas que eu estava pensando no dia, quem diria, os biscoitos funcionam.
A minha interpretação dessa frase vai sobre os "garotos-gênios" que temos hoje em dia perdidos aí pelo mundo digital. O número parece que está aumentando bem, e por esse lado, podemos ver bastante pontos positivos pois vemos o quanto a informática e a grande rede estão ajudando essa garotada a explorar todo o seu potencial. Mas aí vem os pontos negativos, e o maior é ver o tamanho do ego que essa galera está ficando.

Esses dias um sujeito começou a conversar comigo em um canal de IRC falando sobre bash, variáveis, ifs etc e tal (sim, se é você que está lendo isso, é sobre você mesmo que estou falando). Eu, sem entender nada do que estava acontecendo, chamei o dito cujo em private e perguntei o que rolava. Pois bem, o sujeito me mostrou um script bash que ele estava fazendo, e segundo ele estava com um problema em um ponto do script, me dizendo qual é. No ponto onde estava o problema haviam quatro comandos contatenados por pipes, e o primeiro comando era um que nunca havia visto na vida pois era exclusivo de uma distribuição que não uso. Esse primeiro comando enviava as coisas via um pipe para um grep, que segundo a peça rara era onde estava o problema.

Bom, qual é a primeira coisa, que vocês, como programadores, seja de scripts ou qualquer outra coisa, fariam? Eu, pelo menos, perguntei pro sujeito para que servia aquele comando, pois não sabia o retorno que ele estava enviando para o grep. Para minha surpresa escutei um "você não precisa saber para que serve o comando, só resolve o lance do grep"! "Mas vou lá saber o que ele está enviando para o grep? Me diga para que serve aquilo, e para que serve o script" (lógico que tinha que saber para que servia o script, podia ser que ele estava fazendo tudo errado e talvez eu tivesse uma solução melhor, vai saber!)e o que escutei depois foi uma sequencia de "pqp" e coisas do tipo onde fiquei sem entender nada. Educadamente, detalhei para o sujeito como que daria para fazer a análise do problema, e que precisava realmente da explicação do primeiro comando para analisar o output que estava indo para o grep, mas, surpresa! ele parou de teclar comigo. Paciência.
Logo após isso, perguntei para outro usuário do canal, que me disse que o sujeito em questão é de gênio difícil por que é muito mimado, afinal, só tem 13 anos e é considerado o "geniozinho" da família!!! Vejam bem, nada contra garotos de 13 anos, mas vem cá, isso foi falta de educação, arrogância e uma tremenda criancice. Sim, criancice, digam o que quiser, mas um garoto de 13 anos ainda tem muito o que aprender da vida, não importa a condição de gênio que tenha, mas ainda assim não viveu muita coisa para achar que entende o mundo e o mundo lhe entende. Vou te falar, ainda bem que minha adolescência já foi, eu não gostaria de voltar lá não com tantas encanações que aparecem ...

Interpretando o biscoito da sorte a partir disso, o que me parece é que algumas "plantas novas" parecem que querem se esticar muito rápido para poder ver o sol mais de perto. O que acontece é que elas podem até chegar lá, mas ficam com o caule frágil, e aí já viu ... fora que quem vai com muita pressa ao pote pode se queimar, lembram de Icaro, na sua ânsia de voar muito perto do sol? Então.
Nada contra ser ousado, estudar, ser a frente dos outros da sua idade, ter gana para aprender e coisa e tal. Mas o que acontece é que na maioria das vezes, assim como todo o resto, o ego desses pobres infelizes crescem a ponto de não caber nas suas cabecinhas e eles fazem questão de espalhar ele por aí. Aí fica a seu critério achar quantos pontos negativos isso vai contar a respeito dos pontos positivos da (às vezes, suposta viu?) inteligência desses wonder-boys, que inclusive fazem questão até de se comportar como indivíduos "maduros" perdendo a única chance que tem na vida de serem um pouco retardados. :-)
Lógico que isso impressiona (talvez só as titias, os pais que mimam e alguns por aí), mas quando eles tiverem os seus mais de 30 vão perceber que não fizeram alguma coisa que deviam e agora é tarde. Não que não se "morra" após os 30, mas se fica mais responsável (com os outros e consigo mesmo) e não se pode fazer tudo o que se podia na adolescência.

Eu até entendo um pouco esse tipo de atitude. Quando estava em minha adolescência eu queria mudar o mundo, achava que tinha muitas idéias inovadoras, e ó céus, por que o resto do mundo não me escutava? Eu tinha um modelinho de mundo em minha cabeça que gostaria que saísse de lá e se espalhasse por aí (ainda bem que não saiu, por que tinha muita coisa boa, mas tinham umas também que ... deixa pra lá). Eu achava que eu tinha razão, ficava bravo com quem discordava, e olha que tinha argumentos muito bons. Inclusive alguns garotos parecem se munir de argumentos supostamente irrefutáveis, que a menor sombra de dúvida sobre eles seria um caso grave. Acordem! A inquisição já passou, ninguém e nada é intocável assim. E o mundo nunca vai ser do jeito que queremos, todas as pessoas nunca vão se comportar do jeito que achamos melhor (sim, se estou escrevendo isso eu concordo com isso, lógico) ...

Isso me faz lembrar alguns movimentos sociais e ideológicos que tem por aí. Já viram quantos tem e quantos que dão certo nos seus mais puros objetivos, por um período de médio a longo? Qual a porcentagem? Baixa hein. Sabe por que? Por que são formados por indíviduos, pensantes, que você nunca sabe o quem pensam lá no fundo mesmo. Para ter certeza que todo mundo pensa de uma mesma maneira, só com lavagem cerebral! A solidez de uma coisa desse tipo tende a tecer alguma coisa forte, mas dentro de cada pecinha tudo pode acontecer.
Sabe onde se tem certeza absoluta de que todas as partes se comportam de maneira exatamente igual? Em bactérias. Sim, bactérias! Vocês sabiam que elas "conversam" entre si, e que sabem da presença de outras? Isso é chamado "quorum sensing", que, resumindo, vem a ser o comportamento de várias bactérias, coordenados para que possa se fazer uma determinada ação, geralmente em prol da sobrevivência do grupo. Imagine que essa ação só se desencadeie quando uma quantidade X de bactérias estiverem presentes, elas vão chegando e dizendo "oi" umas para outras e "sentem" (ou "ouvem") quando a quantidade X está presente, e só assim vão para o ataque. Uma das coisas que se estuda hoje é um método de fazer determinadas bactérias ficarem "surdas e mudas" permitindo confundir as outras até que um contra-ataque seja efetuado.
Então, garotos, a menos que vocês achem que estão lidando com bactérias (o que seria um absurdo mesmo para os egos inflados que tem por aí), tirem o cavalinho da chuva quando pensarem que todos vão pensar como vocês e que vão levar suas opiniões em conta. Um movimento muda muita coisa sim, mas não se decepcionem com pessoas que vocês acham que são seus "brothers" pensando e agindo diferente de vocês, é direito deles.

E é um bom conselho (dizem que se conselho fosse bom...) os wonder-boys terem um pouco mais de respeito e humildade, pois no fundo ainda não viveram muita coisa e, vão por mim, não sabem tudo que pensam que sabem e que podem um dia saber. Às vezes um garoto desses é bom em uma certa coisa e de repente você descobre que ele não sabia uma coisinha básica e besta que um "gênio" daquele porte nunca poderia deixar de saber, que não tem a ver diretamente com a "especialidade" dele mas que ele realmente deveria saber para fazer mais algumas coisinhas que prestem. Um amigo meu me disse que "amadurecer é reconhecer como somos pequenos", e longe disso de ser uma declaração conformista, é mais uma declaração de humildade e da capacidade de reconhecer que ainda temos muito o que aprender, com nós mesmos e com os outros.

Então, garotos, vamos devagar. Aprendam a ser inteligentes, e se lembrem que inteligência não é apenas saber como fazer as coisas, ter destaque, tirar doutorado ou coisas do tipo. É também saber viver. Saber viver consigo mesmo e com outras pessoas, em uma mesma base, nem acima, nem abaixo. E com esses eguinhos na frente, vocês não sabem o tanto que pensam que sabem, e sabem disso. :-) Só falta aceitar.
Tags:


Comentários

Sem nenhum comentário.

comments powered by Disqus

Twitter